Chuva forte: Santos está mobilizada

0
150

Em razão da forte chuva que atingiu a região durante a noite desta segunda-feira (2), desde então até o início da manhã desta terça-feira (3), todo o efetivo da Defesa Civil, além do Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal e equipes de zeladoria estão mobilizados para atender ocorrências na Cidade.

De acordo com a Defesa Civil de Santos, o acumulado pluviométrico das últimas 72h é de 328,8 mm. Somente na noite desta segunda-feira (2), o índice alcançou 208 mm – quase a média histórica de todo o mês de março (293,8mm).

Santos já registrou recorde histórico de chuvas em fevereiro (916,6 mm). A média esperada para o mês era 291mm. Todos os morros estão em estado de atenção para deslizamentos.

O Samu fez sete atendimentos relacionados às chuvas. Entre eles a morte de uma mulher de 30 anos, vítima de deslizamento no Morro do Tetéu.

Outros três pacientes foram levados para a Santa Casa, hospital de referência regional em ortopedia e traumatologia. Uma menina de 7 anos, do Morro São Bento, está internada na UTI pediátrica do hospital. Já a sua mãe, de 39 anos, teve alta após avaliação da equipe multiprofissional. E um homem de 43 anos, morador da Caneleira, também com múltiplos ferimentos, ficará internado no hospital.

Para a UPA Central foi levada pelo Samu uma mulher de 48 anos, moradora do Morro do Saboó, vítima de soterramento. Ela passou por avaliação médica, exames de raios-X e não foram encontradas fraturas. Com escoriações leves, teve alta no início da manhã. Outras duas mulheres, uma de 52 anos e outra de 73 , moradoras do Morro São Bento, também foram levadas para avaliação na UPA após ficarem desabrigadas. Elas não têm ferimentos.

Os trabalhos da Defesa Civil começaram na tarde de segunda-feira (2), quando foram registradas ocorrências de deslizamentos nos morros Santa Maria, São Bento, Vila Progresso e Monte Serrat, além do rolamento de um bloco de rocha no Monte Serrat.

Os moradores foram orientados a conduzir de forma segura a água da chuva, ou seja, a não deixar que escoe de forma concentrada em terrenos inclinados. Também foram fornecidas lonas plásticas para proteção das áreas afetadas e foi solicitado à Subprefeitura dos Morros o trabalho de fragmentação e diminuição do bloco de rocha.

Também houve a queda de uma árvore de grande porte no bairro Piratininga – ocorrência também atendida pelos Bombeiros.

A Defesa Civil atendeu a mais de 70 ocorrências entre os seguintes pontos: Morro da Penha (2), Morro do Jabaquara (1), Morro do Fontana (4), Morro do José Menino (1), Saboó (2), Morro da Caneleira (2), Monte Serrat (3), Morro Santa Maria (8), Vila Progresso (3), Marapé (5), Nova Cintra (7), Morro do Pacheco (4), Morro São Bento (10), Morro do Bufo (1) e outros locais da Cidade (mais de 16).

“Estamos priorizando os atendimentos às vítimas, principalmente nos morros, que foram mais impactados com obstrução de vias e escorregamentos”, disse o prefeito Paulo Alexandre Barbosa. “Assim como todos os abrigos da Cidade, que já estão de portas abertas, a Prefeitura também colocou à disposição das famílias a Vila Criativa da Vila Progresso e a nova escola municipal Terezinha Maria Calçada Bastos, no São Bento.

ÁREA CONTINENTAL

Em Monte Cabrão, na Área Continental, um deslizamento de terra atingiu cinco casas na Rua Rosário do Nascimento. Uma delas ficou parcialmente soterrada. Não houve feridos. As cinco famílias foram encaminhadas pelas equipes do Plano Preventivo da Defesa Civil (PPDC) à UME Rural Monte Cabrão e, na manhã desta terça (3), seguiram para casa de parentes.

Equipes da Subprefeitura da Área Continental, ligadas ao PPDC, ficaram de prontidão neste bairro durante toda a madrugada e monitoram o local, pois ainda há risco de novo deslizamento. São, no total, 20 residências sob monitoramento. Os moradores estão sendo orientados a irem para residência de parentes. A UME Rural Monte Cabrão também funcionará como ponto de abrigo a essas famílias.

Também foi registrada queda de uma árvore na Avenida Principal, que liga a rodovia ao bairro, sem vítimas. Além disso, quatro postes de iluminação saíram do eixo nesta mesma via. A CPFL foi acionada para regularizar a situação. Neste momento, a Subprefeitura da Área Continental executa limpeza e desobstrução das vias atingidas. Nos demais bairros – Caruara, Ilha Diana, Vale do Quilombo e Iriri – foram registrados pontos de alagamentos.

ESCOLAS

Em função da dificuldade de acesso, estão suspensas as aulas nas escolas municipais Cyro de Athayde, morro Nova Cintra; Martins Fontes, morro da Penha; Samuel Leão de Moura, Areia Branca; Maria Luiza S. Ribeiro, Saboó; Hilda Rabaça, Chico de Paula; Nelson Toledo Piza, Saboó; Antônio Passos Sobrinho, Macuco; Maria Patrícia, Valongo; Oswaldo Justo, Chico de Paula; Noel Gomes Ferreira, Caruara; Judoca Ricardo Sampaio, Caruara, e Leonardo Nunes, Castelo.

A exceção é a escola Terezinha Calçada Bastos, no Morro São Bento, que está funcionando como ponto de acolhida para desabrigados. A Secretaria de Educação destaque que em algumas escolas, em outros pontos da Cidade – entre elas, a UME Martins Fontes – os pais estão deixando seus filhos em razão do receio de ficar em casa, por causa do risco de deslizamentos. No momento, supervisores e direção das escolas, estão analisando as condições de funcionamento das unidades.

POLICLÍNICAS

Em razão das chuvas, nesta terça-feira ficaram fechadas as policlínicas do Monte Serrat, Morro Santa Maria, Porto, Alemoa, Castelo e São Jorge.

BOM PRATO

Os restaurentes populares Bom Prato São Bento e Mercado não abriram nesta terça-feira (3) em virtude da dificuldade dos funcionarios de chegarem ao local de trabalho, já que muitos moram em outras cidades.

PPDC

Desde 1º de dezembro, quando foi implantado o PPDC, mais de 2,5 mil residências localizadas em áreas de risco de Santos – a maioria nos morros – já foram visitadas por técnicos da Defesa Civil do Município.

O PPDC vai até 30 de abril. O objetivo é orientar os moradores quanto à identificação de sinais que indiquem possibilidade de deslizamento de terra. A expectativa é de que até 3,5 mil residências sejam abrangidas por este trabalho.

Para receber alertas por celular, basta enviar o CEP por SMS para o número 40199. Em casos de emergência, o munícipe deve ligar para a Defesa Civil pelo telefone 199.

Primeiros sinais de perigo
  • No solo: trincas no terreno, degraus de abatimento ou rachaduras
  • Em casa: trincas novas no piso ou nas paredes, ou muros estufados
  • Inclinação de árvores, postes ou muros
  • Valas e surgências d’água com coloração mais barrenta que o normal
  • Estalos ou aumento das trincas em blocos ou paredões rochosos
Para não contribuir com deslizamentos
  • Mantenha a vegetação nativa nas encostas
  • Não jogue ou desvie água de tanques, pias ou chuveiros para as encostas
  • Não descarte lixo nas encostas
TRÂNSITO

Por causa da forte chuva que atingiu a Cidade, vários pontos de alagamentos foram registrados na noite desta segunda-feira (2). A situação já foi normalizada na maioria dos locais.

O trânsito já foi liberado na Av. Martins Fontes, no sentido São Paulo. Na direção contrária (para o Centro), segue apenas por uma faixa de rolamento. Na Av. NS de Fátima ainda há pontos com alagamento, mas está transitável no momento, mesma situação ocorre na Rua Ana Santos.

Por Alice Vieira
Secretaria de Comunicação
Prefeitura Municipal de Santos – PMS

Deixe uma resposta