Concerto comemora os 100 anos da imigração japonesa em Piracicaba

0
293
Concertos têm entrada gratuita. Foto: Rodrigo Alves

A OSP (Orquestra Sinfônica de Piracicaba) comemora os 100 anos da imigração japonesa na cidade. Sob a batuta do maestro Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular, o conjunto recebe como solista Shen Ribeiro no shakuhachi, instrumento de sopro oriental. O programa traz ainda os tambores japoneses do grupo de taiko Kyuryu Daiko. Os concertos são às 17h30 e 20h de sábado (24), no Teatro Municipal Erotídes de Campos, o Teatro do Engenho. A entrada é gratuita.

O maestro Jamil Maluf explica que a ideia de um concerto temático surgiu após o vereador Pedro Kawai, primeiro parlamentar de origem nipônica em Piracicaba, lhe informar das comemorações na cidade. “Entusiasmei-me com a proposta, porque sei da força da colônia em Piracicaba e o quanto contribui para áreas de cultura, economia e educação”, diz Jamil Maluf, também maestro na Orquestra Experimental de Repertório, no Theatro Municipal de São Paulo.

Jamil Maluf é diretor artístico e regente titular da OSP. Foto cedida pela assessoria de imprensa

Como forma de recepcionar o público na abertura da programação, seis integrantes do grupo de taiko Kyuryu Daiko apresentam duas canções: “Asuka” e “Shikodori”, no concerto das 17h30, além de “Notodaiko” e “Rio de Lágrimas”, na apresentação das 20h. Na sequência, a OSP recebe Pedro Isamu Mizutani e Akemi Okamoto, regidos por Luis Fernando Fischer Dutra.

Duas obras do programa são para o shakuhachi, flauta de bambu que possui mais de 1.300 anos de tradição e era habitual entre os monges do zen budismo: “Koro-Koro Fantasy”, do compositor Tsuna Iwami, japonês de 95 anos naturalizado brasileiro, e “Sakura Sakura”, tradicional canção folclórica japonesa orquestrada por Gabriel Levy e que retrata a primavera, a época das flores de cerejeira.

O programa traz ainda a abertura da ópera “O Mikado”, cuja estreia se deu em 1885, em Londres. De autoria do inglês Arthur Sullivan, é considerada uma das óperas cómicas mais populares na história da música anglo-saxônica e influenciou várias óperas com temas japoneses, incluindo “Madama Butterfly”, de Giacomo Puccini, cujo intermezzo também faz parte do repertório da OSP.

Desta vez, o maestro Jamil Maluf optou pela troca da palestra O Meu Concerto de Hoje, tradicionalmente realizada na abertura do programa, por uma conversa com o instrumentista Shen Ribeiro sobre o shakuhachi. Natural de Botucatu, Shen estudou na Universidade de Belas Artes de Tóquio e tocou para o imperador e imperatriz do Japão. Ele preside a Associação Brasileira de Musica Clássica Japonesa e é vice-presidente do Pavilhão Japonês do Parque do Ibirapuera, na capital paulista.

Shen Ribeiro apresenta obras com o shakuhachi. Foto cedida pela assessoria de imprensa.

Além das palestras O Meu Concerto de Hoje, a Temporada 2018 conta com três projetos pedagógicos, que somam 36 mil pessoas contempladas desde 2015: projeto ABC do Dó, Ré, Mi, o Música nas Escolas e ensino de instrumento musical na Escola Municipal Olívia Caprânico, no bairro Mário Dedini, para crianças entre 7 e 11 anos.

Os recursos para a Temporada 2018 da OSP são provenientes da Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo) e da Secretaria de Educação.

SERVIÇO
Orquestra Sinfônica de Piracicaba

Dia 24 de novembro, às 17h30 e às 20h, no Teatro Municipal Erotídes de Campos, o Teatro do Engenho (avenida Doutor Maurice Allain, 454, Vila Rezende). Entrada gratuita. Informações: www.sinfonicadepiracicaba.org.br e (19) 3413-5212.

Orquestra Sinfônica de Piracicaba
Assessoria de Comunicação
Rodrigo Alves

Deixe uma resposta