Concerto oficial da Orquestra Sinfônica de Campinas terá participação de barítono chileno

Apresentação trará obras de Erik Satie, Modest Mussorgksky, Paul Dukas e Ottorino Respighi

0
345
Foto cedida pela comunicação Pref. Municipal de Campinas

A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas apresenta-se neste sábado, 29 de junho, às 20h, e no domingo, 30 de junho, às 11h , no Teatro José de Castro Mendes, sob regência do maestro titular Victor Hugo Toro. O concerto contará com a participação especial do barítono chileno Patrício Álvarez.

A programação terá início com a obra de Erik Satie, “Duas Gymnopédies”, peças de pequena extensão com dissonâncias suaves que sugerem um caráter melancólico. Trata-se de um conjunto de três composições nas quais Satie, conhecido pela sua fina ironia, desafia a tradição ao escrever peças com uma sequência harmônica pouco usual em seu tempo.

Em seguida, virá a obra “Canções e Danças da Morte”, de Modest Mussorgksky, que se alinha a alguns músicos do século XIX que tiveram uma vida cheia de dificuldades e morreram prematuramente. O autor compôs algumas obras importantes, mas poucas tiveram sucesso durante sua vida.

Período de muitas dificuldades para o compositor, “Canções e Danças da Morte” é um conjunto de quatro canções para canto e piano com poemas de Arseny Golenishchev-Kutuzov, todas versando sobre o encontro com a morte em diferentes estágios de vida. Na primeira, “Canção de Ninar”, a morte conversa com a mãe de uma criança moribunda; na segunda, “Serenata”, a interlocutora é uma jovem, e na terceira, “Trepak”, um bêbado (talvez refletindo o próprio compositor). Na última, “Marechal de Campo”, os interlocutores da morte são soldados tombados em combate. A orquestração, bem posterior, é do compositor russo Dmitri Shostakovitch (1906-1975).

A próxima obra do programa será “O aprendiz de feiticeiro”, um poema sinfônico. O gênero se desenvolveu em meados do século XIX e caracteriza uma obra orquestral inspirada em poema ou texto literário, em geral em um movimento. É a obra mais conhecida de Paul Dukas, que, além de compositor, foi crítico de música e um dos grandes orquestradores de seu tempo. Extremamente perfeccionista, descartou grande parte de sua obra, entre as quais sua segunda sinfonia.

O encerramento virá com “Pinheiros de Roma”, composição de Ottorino Respighi, que se dedica, com grande sucesso, apenas à música instrumental.

No que se refere ao seu estilo de composição, a peça alinha-se ao pós-romantismo, tendência que agrega compositores que, já no século XX, dedicavam-se à composição dentro dos padrões do século XIX.

Victor Hugo Toro (regente)

Nascido em Santiago do Chile, realizou estudos de regência orquestral e graduou-se pela Faculdade de Artes da Universidade do Chile.

Foi vencedor do II Concurso Internacional de Regência Orquestral -Prêmio OSESP. Têm sido convidado a reger as mais importantes orquestras de seu país, além da OSESP, onde foi regente assistente e apresentou importantes peças do repertório universal.

Junto ao seu importante trabalho com orquestras jovens de seu país, Victor Hugo Toro é também compositor. Suas obras têm sido interpretadas por diversos grupos sinfônicos e de câmara.

Recentemente, foi laureado pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino com a Ordem do Mérito Cultural “Carlos Gomes” no grau de comendador. Também recebeu da Câmara Municipal de Campinas a medalha “Carlos Gomes”, pelos relevantes serviços prestados à cidade. Atualmente, é diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas.

Patrício Álvarez Sepúlveda (barítono chileno)

O cantor chileno iniciou seus estudos de canto com a professora Lucía Gana, na Faculdade de Artes da Universidade do Chile, e deu continuidade ao aprendizado com o maestro Patrício Mendez. Participou de importantes ‘masterclasses’ com a soprano búlgara Elena Filipova e o barítono russo Sergei Leiferkus. Foi solista em produções das óperas “Carmen” (Bizet), “Le convenienze ed inconvenienze teatrali” (Donizetti), “Inés de Suárez” (Piatelli) e “La Traviatta” (Verdi) e integrou o elenco da estreia sul-americana da ópera “Il postino” de Daniel Catán, protagonizada por Plácido Domingo.

Paralelamente, à sua atividade operística, Patrício tem se apresentado habitualmente com a Orquestra Sinfónica de Chile, Orquestra Sinfônica de Concepción, Orquestra da Universidade de Santiago e Orquestra de Câmara de Chile em diversas obras do repertorio sinfônico coral. É fundador da “Companhia Lírica Urbana” (agrupamento de importantes cantores líricos chilenos dedicados à divulgação do repertorio operístico) e, desde 2011, atua como integrante do coro do Teatro Municipal de Santiago.

Serviço
Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas

Datas: 29 de junho, sábado, às 20h
30 de junho, domingo, às 11h
Local: Teatro Castro Mendes (Praça Corrêa de Lemos, s/nº, Vila Industrial. Campinas). Telefone (19) 3272-9359.

Ingressos

Sábado

R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (estudantes, aposentados e maiores de 60 anos), R$ 10,00 (professores das redes municipal e estadual de ensino e pessoas com deficiência e mobilidade reduzida) e R$ 5,00 (estudantes da rede municipal e estadual de ensino)

Domingo

R$ 10,00 (inteira)
R$ 5,00 (estudantes, aposentados e maiores de 60 anos)
R$ 4,00 (professores das redes municipal e estadual de ensino e pessoas com deficiência e mobilidade reduzida)
R$ 2,00 (estudantes da rede municipal e estadual de ensino)

Observação:
É expressamente proibida a entrada após o início do concerto.
Não será permitida a entrada de menores de seis anos.

Secretaria de Comunicação
Prefeitura Municipal de Campinas

Deixe uma resposta