Contruindo Cidadania: Mimimi

0
234

Não é para este ou aquele governo, existe uma categoria de pessoas, vou me restringir ao Brasil, nosso país, por não ter vivencias tão longas em outros, que torce para que tudo de errado, as vezes nem torce intencionalmente mas deixa de fazer coisas importantes para nosso desenvolvimento pessoal e social por achar que tudo vai fracassar por este ou aquele motivo.

Conhece alguém que reclame de quase tudo ou tudo que está ao seu redor? Este é o ser humano Mimimi.

Como Mimimi sua principal característica é a reclamação, aqui não estou fazendo apologia ao conformismo, para não ser mimimi devo aceitar tudo da forma que esta ou for feito e tudo bem. Não. Você pode e muitas vezes deve reclamar e esbravejar, mas o que EU considero equivocado é reclamar de tudo por reclamar e mais, reclamação sem ação, são palavras jogadas ao vento.

Se reclamo de algo, na medida do possível, tenho que propor algo para a solução do problema ou daquilo que lhe incomoda.

Se vai a um restaurante e vai dispender um recurso seu para essa despesa, tenho certeza que se o atendente lhe tratar de forma desleixada, se o produto que adquiriu estiver ruim, fará uma reclamação e pedirá seu dinheiro ou parte dele de volta, pois não houve uma relação saudável entre o que você pagou e o que lhe entregaram.

Essa foi uma reclamação correta, desde que feita com educação, pois quando reclamamos de forma estupida e grosseira, perdemos a razão de partida, pois a empatia se cria nos primeiros 6 segundos de conversa.

A ação pós reclamação, deve ser sempre pautada para a solução da mesma e tem que ter sua participação, salvo em casos muito específicos.

O voluntariado é uma destas ações, quando você observa a sua volta a quantidade de pessoas morando nas ruas, vivendo de migalhas, animais abandonados a própria sorte, organizações que tratam suas atividades com desleixo, pessoas que destratam o meio ambiente e as cidades, com o protagonismo o voluntariado, não só observa, mas faz algo para minimizar estes graves problemas de nossa sociedade.

Que tal deixar o mimimismo de lado e partir para o protagonismo?

Da trabalho, mas é muito melhor do que só ficar reclamando sem nada fazer.

O autor é Roberto Ravagnani, palestrante, jornalista (MTB 0084753/SP), radialista (DRT 22.201), conteudista e Consultor de voluntariado e responsabilidade social empresarial. Voluntário palhaço hospitalar desde 2000, fundador da ONG Canto Cidadão, Associado para o voluntariado da GIA Consultores no Chile, fundador da Aliança Palhaços Pelo Mundo, Conselheiro Diretor da Rede Filantropia, sócio da empresa de consultoria Comunidea e Membro Engage for business. www.robertoravagnani.com.br

Deixe uma resposta