Contruindo Cidadania: Oportunidade

0
378
Roberto Ravgnani e equipe na cidade de Iquitos, no Peru. Foto: Cande Blanco

Nós temos sempre a oportunidade de fazer o bem, o certo, mas muitos por muitas vezes insistem em fazer o mais fácil, que nem sempre é o certo.

O fazer o certo quase sempre é difícil, vem acompanhando de responsabilidades e exige atitude diferenciada da maioria das pessoas, por isso é tão difícil e trabalhoso, eu diria, agir certo e fazer o bem.

Mas não estamos aqui para nos justificar, nosso papel é fazer com que esta atitude possa ser cotidiana, simples, menos complexa, para isso precisamos desmistifica-la:

1 – Fazer o bem e o certo não é para santos ou pessoas puras, é para todos nós, pessoas comuns que querem o melhor para toda a sociedade;

2 – Fazer o bem e o certo não o faz um tolo, um bobo, mas o transforma em um modelo, um exemplo, pois o torna diferente de muitos que não tem esta prática no dia-a-dia;

3 – Fazer o bem e o certo é a melhor maneira de mostrar à sociedade que queremos o melhor para todos e queremos viver de forma correta;

4 – Fazer o certo e o bem é muito mais fácil, pois não precisamos pensar em uma desculpa ou inventar uma história, ela esta pronta para ser utilizada, doa a quem doer;

5 – Para fazer certo e o bem leva o mesmo tempo que o contrário.

Torço para que a maioria dos leitores já estejam nesta trilha do bem e do correto de alguma forma, nas ações dos nossos dias conturbados, nas possíveis ações voluntárias, em atitudes difíceis nos negócios, nas relações quase sempre conturbadas com o poder público.

Vamos quebrar a corrente do contrario a tudo isso que é natural. Esta conversa toda pode parecer um pouco fora do nosso contexto, mas não é, quando falo de voluntariado me refiro a ter ações voluntárias, e por ações voluntárias entenda-se fazer o bem ao próximo e a si mesmo em primeiro lugar, prestar um serviço voluntário é fazer o correto, pois é a preocupação que todos possam estar bem e é o que precisamos para uma sociedade mais justa, mais saudável, é que todos sintam-se bem.

Portanto ações voluntárias independem se são prestadas junto a uma organização ou por você solitariamente e é isso que é difícil, pois ir a uma creche 1 vez por semana é relativamente simples expressar sua bondade, o difícil é ter esta expressão de bondade e de preocupação com o próximo durante todos os 7 dias da semana.

Vamos juntos nos exercitar para exercer o bem e o correto nos próximos trezentos e poucos dias deste restinho de ano que temos?

O autor é Roberto Ravagnani, palestrante, jornalista (MTB 0084753/SP), radialista (DRT 22.201), conteudista e Consultor de voluntariado e responsabilidade social empresarial. Voluntário palhaço hospitalar desde 2000, fundador da ONG Canto Cidadão, Associado para o voluntariado da GIA Consultores no Chile, fundador da Aliança Palhaços Pelo Mundo, Conselheiro Diretor da Rede Filantropia, sócio da empresa de consultoria Comunidea e Membro Engage for business. www.robertoravagnani.com.br

Deixe uma resposta