Duas Chefs surpreendem na gastronomia maranhense em São Luís

Em um universo gastronômico com fortes influências locais, africanas e europeias, a Casa de Juja e o Restaurante Sabina surpreendem o mais requintado paladar

0
2791
Carro chefe do cardápio da casa de Juja tem bela apresentação e sabor forte. Foto: Adilson Zavarize

Quem viaja ao Maranhão pode conferir de perto uma das mais ricas gastronomias do Brasil, onde pode-se perceber claramente as influências indígena, europeia e africana. O resultado dessa mistura não poderia ser melhor.Hoje, a cidade de São Luís talvez seja a capital do nordeste que mais investiu nesse setor na última década. Duas chefes de cozinha se destacam e surpreendem com cardápios exclusivos com toques requintados, sem dispensar o uso de temperos e coisas da própria terra, além de muita história para acompanhar.

A cozinha maranhense foi diretamente influenciada por colonizadores franceses, holandeses e portugueses. A herança dos índios nativos e a presença dos africanos como escravos na maioria vindos da Guiné Bissau, contribuiu ainda mais para formar este caldeirão gastronômico que hoje conta com técnicas e refinamentos de experientes chefs e conquista cada vez mais os turistas.

Restaurante Sabina

Um dos restaurantes que tem conquistado a preferência dos visitantes em São Luis foi inaugurado em novembro passado e oferta um cardápio com receitas contemporâneas e regionais com um toque de original e sofisticado. Localizado no icônico Pestana Resort Hotel, o Restaurante Sabina brinca com o universo de sabores, cortes e cores e surpreende tanto turistas como a população local.

O paladar é aguçado nas entradas do Sabina. Foto: Adilson Zavarize

A chef e banqueteira Célia Rossetti prepara pratos especiais a la carte, de segunda a quinta-feira, sempre no almoço oferece o menu executivo. Às quartas feiras a partir das 17 horas é a vez do chá da tarde que resgata o lado europeu da capital maranhense. Aos sábados, a estrela é a feijoada, além de buffet árabe as quintas.

Premiado em Brasília, o Bacalhau Carmelita é um dos destaques do Sabina. Foto: Adilson Zavarize

No a la carte, o destaque fica para o Bacalhau Carmelita que serve tranquilamente 4 pessoas. Esse foi um dos pratos premiados num concurso com mais de 30 chefes em Brasília no ano passado.

Por que Sabina?

Sabina é uma mulher forte, cheia de vida e com incrível experiência de vida. Nasceu em 1928, na cidade de Bacabal no interior do Maranhão. Mãe de José Edilson Sousa, a quebradeira de coco criou uma dezena de filhos, frutos das aventuras do marido, com quem permaneceu casada por 25 anos, a contragosto da família de “Dequinho”, dito homem bonito e galanteador.

Ele andava sempre de paletó branco impecável, enxaguado no anil e perfumado com folha de oriza para que “pudesse passar a noite dançando com as mulheres do sítio”. Numa época em que as mulheres separadas eram mal vistas e faladas, um dia Sabina sentou Dequinho numa cadeira e deu seu recado:

“ – Quem não te conhece, que te compre”. Seguiu a vida, sem dar cabimento para quem quer que fosse. Trabalhou duro para tornar o filho legítimo em torneiro mecânico. José aprendeu a lição! Juntou um punhado de dinheiro às custas de muito suor, comprou fazenda, animais e fez família.

Essa determinação ultrapassou gerações e tornou possível, nos dias atuais, que a Chef Célia Rossetti homenageasse sua avó, dando ao seu primeiro restaurante o nome de Sabina.

A Casa de Juja

Outro local bastante interessante é o Ateliê Gastronômico Casa de Juja. A casa oferece uma proposta bem interessante. Lá, todos da família trabalham e atendem os fregueses que previamente fazem suas reservas e encomendam seus pratos.

Além dos pratos, “Juja” também cria banquetes e festas especiais. Foto: Adilson Zavarize

Quem dirige a casa é a experiente chefe Ana Lula, que foi proprietária de um restaurante badalado no centro histórico de São Luis, e após a separação do marido, resolveu abrir a sua casa para receber pessoas que admiram viajar por uma gastronomia única e trabalhada quase que artesanalmente.

A entrada, com bolinhos de bacalhau, patolas de caranguejo, vatapá e camarão. Foto: Adilson Zavarize

Acostumada a criar banquetes e festas especiais para empresários, médicos, políticos e personalidades da capital, Juja sente um enorme prazer em receber as pessoas em sua casa e preparar de maneira exclusiva pratos de sua criação, para o deleite e sabor dos clientes.

Mariscos, camarões, patolas de caranguejo e ostras formam uma bela apresentação no prato principal. Foto: Adilson Zavarize

Nossa dica é experimentar de entrada bolinhos de bacalhau, patolas de caranguejo, vatapá e camarão servidos com geleia de pimenta, e como prato principal, o concorrido arroz do mar. O famoso carro chefe do cardápio da casa é bem apresentado, colorido e oferece uma sinfonia de mariscos, camarões, patolas de caranguejo e ostras, numa bela apresentação e com sabor forte.

Serviço

A Casa da Juja fica Rua 4 casa 20 – Vinhais – Aceita apenas reservas pelo telefone 098 981539006 – www.casadejuja.com.br

O Restaurante Sabina – fica dentro do hotel Pestana em São Luis  Av Aviscência –  Bairro do Calhau – reservas pelo facebook facebook.com/sabinarestaurante ou telefone (98) 2106-0535

Texto por: Cláudio Lacerda Oliva
Fotos por: Adilson Zavarize
Enviados especiais ao Maranhão
Revista QualViagem

Deixe uma resposta