Escritor Ale Santos abre a programação do projeto Negras Inspirações no Sesc Piracicaba

Palestra, que acontece nesta sexta-feira (12), às 20h, tem como tema as histórias dos povos negros no Brasil.

0
472
Foto cedida pela Comunicação Sesc Piracicaba

Ale Santos se define como autor de sci-fi e fantasia afroamericana e negro drama do storytelling. Ele se tornou conhecido nas redes sociais como o cronista dos negros no Twitter. Esse reconhecimento começou quando resolveu contar histórias negras no microblog. Sua conta @Savagefiction possui hoje mais de 84 mil seguidores. No Sesc Piracicaba ele abre a programação do Negras Inspirações, projeto da unidade que integra o institucional Do 13 ao 20: (Re) Existência do Povo Negro. A palestra acontece nesta sexta (12), às 20h, no Teatro da unidade. A entrada é gratuita – retirada de ingressos com uma hora de antecedência.

O projeto Negras Inspirações visa resgatar, por meio de palestras, cursos e espetáculos, a pluralidade das identidades negras, jogando luz sobre as figuras do passado e reforçando o protagonismo daqueles que fazem a diferença no presente. A abertura de Ale Santos se propõe exatamente a isso. O escritor conversará com o público sobre a invisibilidade dos personagens negros na historiografia tradicional e como podemos recontar essas histórias.

“Nosso povo foi silenciado por séculos, toda a intelectualidade negra não pôde florescer no cativeiro e décadas depois, mas agora, graças aos primeiros homens e mulheres que estavam lutando no pós-abolição e também durante a ditadura, podemos olhar para o passado e destruir os estereótipos nocivos que a colonização e a escravidão deixaram. Estamos vivendo um momento único na história afro-brasileira, os esforços para destacar o ponto de vista do negro na sociedade estão se intensificando e se tornando cada vez mais plurais”, destacou Ale Santos.

Quando a lei que proibiu a escravidão em todo o Brasil foi finalmente assinada, boa parte dos escravizados já estava livre. A história sempre é contada por um único lado. Zumbi dos Palmares foi praticamente o único protagonista negro a ter algum reconhecimento – tardio – nesta história, mas muitos outros o precederam. Foi por meio da (re)descoberta dessas e outras histórias, contadas na linguagem leve e direta do Twitter, que Ale se tornou nome influente da luta antirracista no país. O escritor já escreveu para a Super Interessante, Vice! e The Intercept Brasil.

Do 13 ao 20: (Re) Existência do Povo Negro, projeto institucional do Sesc São Paulo, faz alusão às datas 13 de maio e 20 de novembro (Dia da Abolição da Escravatura e Dia da Consciência Negra, respectivamente), e engloba ações para o fortalecimento e reconhecimento da cultura negra em todo o Estado, bem como o fomento à convivência e o respeito pelas diferenças, com o intuito de refletir sobre a construção das identidades e valorizar a pluralidade de manifestações e expressões culturais. O projeto, que integra o programa Ações Para Cidadania, do Sesc São Paulo, reconhece que faz-se necessário (re)conhecer o papel histórico de todo aporte subjetivo construído para manutenção do status quo. Conhecer historicamente tal construção e questionar privilégios, é uma atitude que revela o compromisso com uma sociedade mais justa, logo, é uma atitude ética, que requer coragem.

Em julho, a programação do projeto Do 13 ao 20: (Re) Existência do Povo Negro contará também com o encontro Equipes da Resistência e Cultura – Baile Black, com a participação do professor e historiador Noedi Monteiro, além dos grupos Dinamic SoulBlack Horse e Modelo Chic. O evento será no dia 19 (sexta), às 18h30, no Ginásio do Sesc Piracicaba. A entrada é gratuita.

O curso Da História ao Mito pela Literatura Africana será em agosto, de 7 a 21, as quartas, às 19h30, com Márcia Zamboni Gobbi, professora e pesquisadora, doutora em estudos comparados de literaturas de língua portuguesa e livre docente em literatura portuguesa. As inscrições serão pelo site sescsp.org.br/piracicaba ou na Central de Atendimento. O mês também terá a palestra Cultura Popular, Feminismo e Combate ao Racismo, com a atriz, produtora cultural e ativista Mayra Kristina de Camargo. A programação acontece no dia 8, às 19h30.

Em setembro, a palestra Educação e Cultura de Matriz Africana será no dia 6, às 19h30, com a jongueira Dandewara Pereira. Após a conversa, a programação continua com vivência de cantigas afro-brasileiras, de religiões de matriz africana e de jongo, com Wilson Lima Santos. O curso Curso Música Popular, Política e Racismo no Brasil, com Vítor Queiroz, bacharel em história, mestre em história social da cultura e doutor em antropologia social pela Unicamp, começa no dia 4 de setembro e seque até 2 de outubro, sempre as quartas, às 19h30. Serão abertas as inscrições para atividade (por meio do site sescsp.org.br/piracicaba ou na Central de Atendimento).

Outubro será ainda mais repleto de atividades: oficina Notas de Escurecimento – Escrita Negra Brasileira, com o ator, roteirista, diretor, educador social e escritor Plínio Camillo (dias 5 e 6/10, sábado e domingo, das 14h às 17h); Palestra Ponto de Virada, que apresenta a história de Ubirajara Cristiano de Barros Sabino, o Bira (dia 17/10, quinta, 19h30); curso Introdução à Filosofia Afro-brasileira: Conhecimento, Cultura e Educação, com Antonio Filogenio de Paula Junior, graduado em filosofia, especialista em filosofia e ensino de filosofia, mestre e doutor em história e filosofia da educação (de 9/10 a 6/11 -exceto 23/10 -, quartas, das 19h às 22h); e o espetáculo O Poder da Palavra, de Elisa Lucinda (dia 23/10, quarta, 14h e 20h).

Serviço
Do 13 ao 20: (Re) Existência do Povo Negro

Abertura: Negras Inspirações, com Ale Santos
Dia 12, sexta, 20h.
Teatro. Grátis. Livre – retirada de ingressos com uma hora de antecedência.

Sesc Piracicaba
Rua Ipiranga, 155 – Centro
Telefone: (19) 3437-9292
sescsp.org.br/piracicaba

Assessoria de Comunicação
Sesc Piracicaba

Deixe uma resposta