No verão, cuidados com a pele devem ser intensificados

Médico afirma que o cuidado varia de acordo com o tipo de pele, que pode ressecar mais e está mais suscetível a doenças. Foto: Rafael Bitencourt

0
697

Aguardada por muita gente, a estação mais quente do ano é período de relaxar e aproveitar dias de folga. O verão é tempo propício para curtir a praia e a piscina junto com a família e os amigos, especialmente nos primeiros dias do ano, em que muitos estão em férias. Mas para evitar problemas com a pele, alguns cuidados são fundamentais.

O médico e professor de pós-graduação Leandro Menezes explica que nesse período são necessários cuidados com a proteção solar e também no que se refere à hidratação do corpo. “Quando pensamos em hidratação de pele, muitas vezes nos atemos apenas ao hidratante corporal, mas a ingestão de líquidos é muito importante para o organismo em geral e também para a pele”, afirma.

De acordo com o médico, é preciso estar muito atento, quando o desejo é obter uma pele bronzeada. “A exposição ao sol, ou a qualquer tipo de fonte luminosa, traz malefícios, como o envelhecimento precoce, já que há uma alteração na camada natural protetora da pele, que fica mais ressecada, com um aspecto mais escamoso e em algumas vezes um aspecto mais acinzentado, que indica que a pele está bem ressecada”, explica o médico.

Uma grande exposição ao sol pode aumentar a possibilidade de ocorrência de câncer de pele. “Grande parte dos casos de câncer de pele é oriundo de pintas que já existiam e não tinham alteração nenhuma, mas passam a ter alterações devido ao estímulo causado por fontes luminosas, no caso, o sol”.

Para minimizar essas ocorrências, o dr Leandro recomenda o uso constante de hidratantes. “Lembrando que há tipos diferentes de pele, não só de indivíduo para indivíduo como no nosso próprio corpo há diferenças, ou seja, a pele do nosso dorso não é igual a pele do nosso rosto, por exemplo. Então, existem tipos de hidratação específicas para cada região do corpo no mesmo indivíduo. Um hidratante corporal não é indicado para hidratar a face e vice-versa”, aponta.

A própria hidratação facial precisa ser pensada de forma adequada para cada pessoa. “É uma hidratação mais complexa, já que há rostos que são oleosos, secos, mistos, com tendência a acne, sem tendência a acne, masculino, feminino. Isso tudo traz nuances e diferenças que devem ser respeitadas na hora de se propor uma hidratação”.

PROTETOR SOLAR

De acordo com o dr. Leandro Menezes, a escolha do protetor solar mais adequado também varia de acordo com o tipo de pele. “Algo que é muito importante: é preciso estar atento se já tem alguma alteração, se há um grau de envelhecimento da pele, qual é a rotina de trabalho, com base nisso, por meio da avaliação dos fatores de proteção solar, é possível indicar a melhor opção para cada caso”.

Assim, o fator de proteção solar varia de pessoa para pessoa. O médico explica que é indicado, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, no mínimo o fator 30. “Isso significa que você vai levar 30 vezes mais o tempo de queimar que você usaria se não estivesse usando o produto. Mas é importante salientar que esses fatores são medidos em um ambiente controlado. Então se não passar da forma correta e com o nível de reaplicação correto, você não vai usufruir os benefícios do produto”.

O dr. Leandro explica que a melhor forma de usar o protetor é passar uma vez, deixar agir por cinco minutos na pele e reaplicar. Além disso, é necessário aplicar várias vezes ao longo do dia. “Existe uma perda, até por conta da transpiração ao longo do dia. Há situações em que lavamos o rosto, as mulheres retocam a maquiagem e isso tudo faz com que haja uma deteriorização do efeito do produto. Então a reaplicação é fundamental. É importante aplicar ao menos três vezes por dia”.

Para quem está curtindo praia ou piscina, é necessário reaplicar o produto sempre após o corpo ter contato com a água. “Existem produtos que tem maior resistência à água, mas é sempre melhor prevenir do que remediar. Até porque há uma exposição maior ao sol e uma situação em que há mais transpiração, então, a reaplicação deve ser constante”, completa o médico.

Assessoria de Imprensa
Rafael Bitencourt

Deixe uma resposta